VP de marketing Bruno Maia fala sobre homenagem e leilão de camisas com bandeira rubro-negra; veja vídeo
Sexta-feira, 15/02/2019 - 01:20
A tragédia do Ninho do Urubu completará uma semana nesta sexta-feira (15). Dez garotos da base do Flamengo morreram e três ficaram feridos, após incêndio no dormitório onde eles dormiam, no alojamento do CT. A semana foi repleta de diversas homenagens ao longo dos dias nos jogos pelo país e uma delas ganhou uma grande repercussão: a camisa do Vasco na partida contra o Resende possuir a bandeira do Rubro Negro junto com a do Cruz Maltino.

Em entrevista ao programa Futebol na Veia, da ESPN Brasil, o vice de marketing do Vasco, Bruno Maia, comentou sobre a homenagem que o clube prestou para as vítimas do CT do Flamengo. O feito ganhou grande repercussão, a grande maioria de forma positiva, mas algumas acabaram sendo negativas no próprio ambiente do Vasco.

Bruno Maia relatou que, além de homenagear as vítimas do Ninho do Urubu, houve também para as pessoas que sofreram com as enchentes no Vidigal e na Rocinha, que foi o ponto inicial. "Foi uma homenagem às vítimas da enchente devastadora que teve no Rio, tanto é que nas costas da camisa está em homenagem ao Vidigal e a Rocinha. A gente está leiloando essas camisas para arrecadar fundos para as comunidades muito afetadas. E a gente entendeu que o Flamengo era mais um desses afetados com o que aconteceu."

Serão leiloadas 14 camisas, que foram as que entraram em campo ontem. Foram feitas em torno de 40 camisas no total, algumas ficaram com os jogadores que atuaram e outras serão guardadas para a história.

A intenção de colocar a bandeira foi para para mostrar o que o futebol realmente representa. A torcida tem um amor gigantesco pela bandeira de seu clube e, por conta disso, mostrar a paixão, os valores do esporte, a união.

"A bandeira do Flamengo, pra mim, ali representa o futebol, a paixão que une os outros clubes pela sua bandeira. Mas cada torcedor de futebol, eu acredito, vai olhar para a bandeira do seu time como um símbolo maior, quase que do tamanho da vida dela que representa seus valores. E é disso que gente está falando, da paixão do futebol, da paixão que o pai passa para o filho, dos valores que a gente transmite. Então eu entendo que a bandeira ali é em relação a isso, não é a instituição."

Ainda de acordo com Bruno Maia, as pessoas que tiveram a ideia de fazer a homenagem foram colocadas por circunstâncias da vida e que eles têm que agir do modo que acreditam, por eles representarem a instituição Vasco, nesse momento. Destaca que cada um que participou da decisão é importante e que o presidente aceitar foi um ato corajoso, já que ele era o que poderia ter mais riscos com o isso.

"A nossa solidariedade ao sentimento de família que vivem um sonho dos meninos e crianças que foram embora, crianças que nós temos em São Januário nas nossas categorias de base. Não tem como não se misturar. É sentimento do futebol e da dor de uma tragédia."

Ao aceitar, uma das coisas que Maia mais acreditava era na questão dos valores morais, éticos e históricos. A possibilidade do Vasco voltar a ser comentado, foi algo que mexeu com o vice de marketing, para que o feito do clube possa ser lembrado por todos. "Se, de alguma forma o que a gente fez ontem tiver a altura do que essa história que me fez ser vascaíno, isso pra mim já vale mais do que qualquer coisa."

Uma das coisas mais importantes segundo Maia, foi a mensagem de apoio ao Vidigal e à Rocinha junto com a arrecadação de fundos que será feita com o leilão das camisas e a mensagem colocada na frente da camisa em referência do Flamengo, em frente juntos.

"É andar para frente o que passou a gente precisa criar o que ta vindo. É óbvio que a história está escrita, a gente respeita, vamos seguir. Acredito que o futebol brasileiro só vai mudar, como a gente gostaria, com movimento de união muito mais ampla dos clubes, das torcidas e compreensão de futebol deve unir."



Fonte: Torcedores.com